Publicações Populares

Escolha Do Editor - 2020

O curso do tratamento da inflamação da próstata

A próstata é uma glândula não pareada de secreção externa nos homens, cujo funcionamento é controlado por andrógenos; portanto, sua inflamação se refere a doenças dependentes de androgênio.

A prostatite (inflamação da próstata) é a patologia urológica mais comum em pacientes da faixa etária média, que, de acordo com a classificação da OMS, inclui homens de 44 a 60 anos.

A doença é generalizada em homens jovens, mesmo no contexto do funcionamento normal do sistema reprodutivo: neste caso, despertares sexuais frequentes que não terminam com uma relação sexual completa, bem como entusiasmo excessivo por técnicas sexuais não tradicionais, podem ser fatores de risco.

Os sintomas da prostatite são diversos e dependem da forma como o processo inflamatório ocorre, mas os principais sinais que permitem diagnosticar inicialmente a inflamação na próstata são distúrbios da micção e síndrome da dor pélvica crônica.

O tratamento também depende dos fatores etiológicos, estágio e forma da doença, e pode incluir métodos médicos e fisioterapêuticos, bem como terapia estimulante inespecífica, por exemplo, injeções de proteínas. Em um curso crônico, condições importantes para alcançar remissão estável são dieta, correção de distúrbios hipodinâmicos, controle do peso corporal e eliminação de efeitos tóxicos regulares no corpo (tabagismo, dependência de álcool, condições adversas de trabalho etc.).

Causas de inflamação

A prostatite é uma doença inflamatória na qual principalmente o tecido parenquimatoso e intersticial (conjuntivo) é afetado. Na grande maioria dos casos, a inflamação aguda da próstata tem uma etiologia infecciosa e se desenvolve no contexto da semeadura das membranas mucosas da próstata pela flora patogênica representada por gonococos, estafilococos, estreptococos, E. coli, etc.

Em alguns casos, a bacterioscopia das secreções da próstata revela uma flora mista, isto é, no contexto da infecção por um patógeno e o enfraquecimento associado da imunidade, a atividade de outros representantes da flora condicionalmente patogênica (incluindo flora microbiana e fúngica) aumenta.

A terapia de erradicação com esse curso é necessariamente selecionada, levando em consideração os resultados do diagnóstico laboratorial e pode incluir vários agentes antimicrobianos, antibacterianos e antimicóticos de ação sistêmica.

A infecção da próstata pode ocorrer pela via linfogênica ou hematogênica (via sangue), mas na maioria dos casos a principal fonte de infecção é a parte prostática (próstata) da uretra. Com a uretrite posterior - inflamação da uretra posterior, localizada da abertura interna da uretra ao corpo cavernoso - a probabilidade de infecção da próstata através dos ductos excretores é bastante alta, portanto, uma das tarefas no complexo tratamento da prostatite bacteriana aguda ou crônica é a reabilitação de focos de infecção crônica, incluindo a crônica uretrite.

As causas mais prováveis ​​de prostatite nos homens também podem incluir os seguintes fatores:

    hipotermia regular ou aguda dos órgãos pélvicos (trabalhos em correntes de ar, em refrigeração e congeladores, etc.),

O papel da abstinência sexual prolongada no desenvolvimento da prostatite ainda não foi totalmente estudado, mas os especialistas acreditam que esse pode ser um dos fatores, já que o esvaziamento prematuro da próstata (erupção do líquido secretor, que faz parte do esperma) cria condições favoráveis ​​ao crescimento de bactérias e causa estagnação do sangue e da linfa. contribuindo para a inflamação cognitiva (congestiva).

Classificação

Pela natureza e características do curso, distinguem-se dois tipos de prostatite: aguda, resultante de exposição espontânea a um fator externo ou exposição a microrganismos patogênicos nas membranas mucosas da próstata e crônica. A prostatite crônica pode ser uma doença independente caracterizada pelo aumento da atividade da flora oportunista no contexto de diminuição da imunidade e efeitos tóxicos regulares e patologia secundária resultante do tratamento inadequado ou prematuro da inflamação aguda. A prostatite recorrente de etiologia infecciosa é característica de homens que sofrem de infecções crônicas dos órgãos pélvicos, uretra ou genitais.

Os principais agentes causadores da prostatite bacteriana crônica são enterococos fecais, Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa (menos comumente - estafilococos e gonococos).

O tratamento da inflamação infecciosa em um curso crônico, persistente e recorrente deve incluir não apenas métodos clínicos padrão, mas também controle higiênico completo (higiene da virilha, períneo e zona anorretal), bem como a reabilitação de focos de infecção crônica.

A prostatite congestiva (cognitiva) é caracterizada pela estagnação da secreção da próstata, bem como pela diminuição da circulação sanguínea e do fluxo linfático na pelve. Os fatores predisponentes da prostatite congestiva são mais frequentemente um estilo de vida sedentário, maus hábitos e falta de vida sexual regular.

O processo inflamatório agudo no tecido parenquimatoso e intersticial da próstata também pode diferir no curso clínico. No total, são distinguidas quatro formas clínicas de prostatite aguda.

Formas clínicas de prostatite aguda

Forma de inflamaçãoCaracterísticas do curso
CatarrhalEsse é o primeiro estágio (inicial) da inflamação, no qual as alterações fisiopatológicas são baseadas na descamação do tecido epitelial dos ductos excretores e estreitamento de seus lúmens. Isso leva à excreção prematura do fluido secretório e ao desenvolvimento de fenômenos estagnados no corpo. A infiltração maciça de leucócitos é determinada no local da inflamação.

Os sintomas nesta fase da doença são lentos. É impossível determinar visualmente a presença de um processo inflamatório nesta fase em vários casos, uma vez que o único sintoma visualmente detectável de prostatite catarral pode ser um leve inchaço dos lobos parenquimatosos da próstata. A forma e a estrutura do órgão nesta fase são preservadas. FolicularA prostatite folicular é caracterizada por proliferação pronunciada (proliferação) de células epiteliais e oclusão parcial dos ductos excretores. A violação do fluxo de pus da glândula inflamada leva à formação de um abscesso, que ao exame físico é definido como uma compactação subcutânea dolorosa na forma de grão ou ervilha. A próstata incha e o paciente desenvolve sintomas típicos para esta forma: hipertermia, síndrome de intoxicação (calafrios, dor de cabeça), dor na virilha. Os distúrbios disúricos são bastante pronunciados: um homem pode se queixar de vontade frequente de esvaziar a bexiga, ardor e dor durante a micção e após a micção. ParênquimaEste é o terceiro estágio da prostatite aguda, em que todos os sintomas clínicos são altamente pronunciados, e um diagnóstico preliminar pode ser feito após o exame inicial do paciente. A próstata com inflamação do parênquima aumenta, aumenta de tamanho. Com o tratamento adequado nesta fase, ocorre uma recuperação completa (dentro de 2-3 semanas). Se o paciente ignora os sintomas e não procura ajuda médica, ocorre o quarto estágio da inflamação aguda - prostatite fleumosa. PhlegmonousA palpação do órgão no estágio flegmonoso é dolorosa, com pressão, pus, exsudato seroso ou fluido sanguíneo. Na ausência de terapia oportuna, múltiplos abscessos podem se formar na glândula, que, quando fundidos, derrete o tecido do órgão. Uma complicação dessa forma de prostatite também pode ser a inflamação dos tecidos localizados ao redor da próstata.

Importante! O tratamento antibiótico da prostatite nem sempre é eficaz, pois em algumas formas, por exemplo, inflamação cognitiva, a natureza infecciosa da inflamação está ausente. Para selecionar corretamente a terapia eficaz e impedir a transição da doença para uma forma crônica, é necessário realizar um complexo diagnóstico completo, que necessariamente inclui não apenas um estudo da secreção de urina e próstata, mas também um exame retal da próstata para avaliar seu tamanho, forma e estrutura.

Sinais e sintomas

O quadro clínico da inflamação da próstata depende da forma em que a doença ocorre, sua etiologia, alterações morfológicas nos tecidos da glândula, a idade do homem e a atividade do seu sistema imunológico. A prostatite crônica lenta pode não se manifestar de forma alguma, e muitos homens explicam os sintomas leves que surgem na forma de pequenos distúrbios disúricos e sexuais com aumento do estresse físico e emocional.

Um quadro clínico típico de prostatite crônica é composto principalmente pelos sintomas listados abaixo.

    Disfunção erétil. Este grupo clínico inclui não apenas a ejaculação precoce e potência fraca, mas também uma diminuição das sensações durante o orgasmo. Em alguns casos, no processo de ejaculação, um homem pode experimentar sensações dolorosas, manifestadas por dores, queimação e formigamento na próstata.

A síndrome de intoxicação crônica com esta forma de prostatite se manifesta por uma diminuição da capacidade de trabalho, síndrome astênica, fadiga patologicamente rápida. Em alguns casos, é possível desenvolver distúrbios neurastênicos e depressivos (principalmente no contexto de distúrbios do sono devido à necessidade noturna de esvaziar a bexiga).

Sintomas de inflamação aguda

O quadro clínico da inflamação aguda é quase sempre bem definido. No estágio inicial (estágio da inflamação catarral), um homem pode não sentir fortes mudanças na saúde, mas a disúria moderada já se manifesta nesse período. A micção permanece indolor, mas podem aparecer impulsos urgentes (imperativos) mais frequentes, acompanhados por vazamento descontrolado de uma pequena quantidade de urina. Nesse estágio, os desejos noturnos também podem se tornar mais frequentes, o que afeta negativamente a qualidade do sono e contribui para a ocorrência de mudanças emocionais e comportamentais. Um homem fica nervoso, irritado, tem dores de cabeça, diminui o desempenho. A dor na prostatite catarral aguda é quase sempre opaca e localizada na virilha, sacro e períneo.

Outros sinais de inflamação aguda da próstata podem incluir:

    aumento da temperatura para 38,5-39,0 ° C (com inflamação do parênquima, os indicadores de temperatura permanecem dentro da condição subfebril),

Pode ser observada vermelhidão da pele e leve inchaço no local da localização do foco inflamatório.

Um sinal importante de prostatite aguda pode ser dor na virilha e na região lombar, surgindo não apenas após a relação sexual, mas também após abstinência prolongada.

Se antes da doença, a vida sexual do homem era ativa e regular, a dor pode aparecer após 4-5 dias de abstinência. A síndrome inflamatória comum é muitas vezes percebida por muitos como o aparecimento de uma doença respiratória, uma vez que exibe as mesmas manifestações clínicas: calafrios, músculos e articulações doloridos, sonolência patológica, dor de cabeça.

Preste atenção! Os sintomas laboratoriais da prostatite são alterações inflamatórias nos exames de sangue (uma alteração na contagem de glóbulos brancos), alterações na composição do líquido seminal, secreção da próstata e urina. Na inflamação bacteriana aguda, filamentos purulentos podem ser detectados em uma segunda porção de urina.A própria urina parece turva e contém sedimentos ou suspensão.

Tratamento: terapia básica e inespecífica

O tratamento da prostatite é prescrito somente após a determinação da natureza etiológica do processo inflamatório, identificando o patógeno infeccioso e sua resistência a medicamentos antibacterianos. Antibióticos são o principal grupo de medicamentos para a inflamação parenquimatosa e fleumática da próstata. A duração do uso contínuo de agentes antibacterianos é de 2-3 semanas. No caso de inflamação infecciosa crônica e presença de doenças concomitantes (uretrite, cistite, pielonefrite, etc.), a terapia antimicrobiana e antibacteriana pode ser realizada de 5 a 6 semanas a vários meses. Antibióticos para um curso semelhante são prescritos nas doses máximas permitidas. A duração do tratamento é sempre determinada individualmente.

Antibióticos para o tratamento da prostatite e sua dosagem

AntibióticoNomes comerciaisComo tomar?
Amosina
Panklav,
Flemoxin
Ospamox
Hikontsil
"Augmentin".
1,5-3 g por dia dividido em 3 doses.

Zetsil
"Standacillin"
Pentrexil.
De 2 ga 6 g por dia em intervalos de 6 em 6 horas (a dosagem diária é selecionada individualmente, levando em consideração a gravidade da infecção).

Na uretrite gonocócica aguda, é indicada uma dose única de 3,5 g.

"Tetraciclina".200-300 mg por dia em 2-3 doses.

Crixan
Helitrix
Clerimed,
"Fromilide".
De 500 mg a 1 g por dia em 2 doses divididas.

Zinnat
Zinacef
Super.
125-250 mg 2 vezes ao dia.

Como correção auxiliar do medicamento, os seguintes agentes também podem ser incluídos no regime de tratamento:

    antiespasmódicos com efeito analgésico na forma de supositórios retais ("alívio", "cloridrato de papaverina 1%"),

Para corrigir disfunções eréteis, os corretores urodinâmicos das plantas ("Speman") podem ser usados ​​para melhorar a viscosidade e fluidez do esperma, sua composição química e eliminar a estagnação nos tecidos da próstata.

Se os diuréticos são ineficazes, a urina da bexiga é removida artificialmente usando um cateter especial.

Importante! Na presença de úlceras na próstata, é indicada sua abertura com subsequente drenagem da cavidade. A intervenção pode ser realizada tanto pelo reto quanto pelo períneo. Para interromper a inflamação e evitar possíveis complicações após a abertura do abscesso, são prescritos antibióticos, sulfonamidas e medicamentos com efeitos antimicrobianos e antiprotozoários, como o metronidazol.

Tipos de inflamação

Na urologia, é habitual distinguir duas formas principais de inflamação da próstata: aguda e crônica. No primeiro caso, os sintomas começam abruptamente, desenvolvem-se rapidamente e causam muita ansiedade ao homem.

As causas comuns de uma forma aguda de inflamação da próstata são hipotermia, trauma e imprecisão na vida sexual. A doença pode ser detectada em homens com idades entre 20 e 45 anos; em outros períodos da vida, a prostatite aguda é extremamente rara.

A prostatite crônica é mais frequentemente uma complicação da forma aguda ou hiperplasia prostática benigna. Esta forma é caracterizada por sintomas leves, períodos de atenuação e exacerbações. A prostatite crônica ocorre com mais frequência em homens mais velhos, no entanto, a detecção dessa forma em pessoas de meia-idade e jovens não é excluída.

Sinais de inflamação da próstata

Os sintomas do processo inflamatório na próstata dependem da forma em que a doença prossegue e de qual microorganismo é causado. O quadro clínico mais impressionante é a prostatite aguda, os sinais da prostatite crônica são frequentemente ignorados até pelos pacientes.

Para a forma aguda da doença, as seguintes manifestações são características:

  • um aumento acentuado da temperatura, geralmente até 39 0,
  • febre e calafrios,
  • dor severa e cortante no períneo, irradiando para o ânus ou glande do pênis, bem como para o abdome inferior,
  • dor durante a micção
  • micção freqüente, especialmente à noite.

Com um longo curso, os sinais de intoxicação do corpo são visíveis - fraqueza, fadiga, náusea, perda de apetite. A prostatite aguda pode ser acompanhada por disfunção erétil, diminuição do desejo sexual e, na ausência de tratamento adequado, pode resultar em infertilidade.

Se a inflamação na próstata for causada por uma IST, outro sintoma aparecerá - descarga da uretra. Eles podem ser esverdeados, amarelos, brancos, geralmente têm um odor desagradável.

A prostatite crônica se manifesta pelos seguintes sintomas:

  • dor leve durante a micção, mais frequentemente - queimação,
  • dor durante a exacerbação,
  • ereções noturnas sem causa,
  • frequentemente com aumento do desejo sexual
  • a presença de partículas brancas na urina.

A inflamação crônica da próstata também afeta as vesículas seminais, o que leva a uma deterioração da qualidade do esperma. Como resultado, um homem pode desenvolver infertilidade - a complicação mais comum desta doença.

Prostatite crônica é difícil de tratar. Será necessário um exame completo do corpo e da terapia complexa, excluindo quaisquer métodos duvidosos (alternativos).

Diagnóstico da doença

Não é possível diagnosticar com precisão apenas os sintomas. Para entender como a inflamação da próstata pode ser tratada, o médico deve saber que tipo de microrganismo é causado, que forma tem e também ter uma ideia de doenças concomitantes. Para esses fins, os diagnósticos de laboratório são amplamente utilizados:

  • exame de sangue geral e bioquímico,
  • análise bacteriológica e geral da urina,
  • análise da secreção da próstata,
  • Diagnóstico de PCR para detectar o tipo de infecção,
  • espermograma se houver um problema com a concepção.

Dos métodos instrumentais, o ultra-som é usado, tanto abdominal quanto transretal. Nas imagens obtidas, o médico pode observar alterações na estrutura dos tecidos, se houver inflamação, determinar sua área, estabelecer o tamanho da próstata, que aumenta com a prostatite.

Em caso de dúvida, o paciente pode ser encaminhado para ressonância magnética ou tomografia computadorizada. Estes são métodos de exame que permitem criar um modelo tridimensional do órgão investigado na tela do monitor e, portanto, fornecer resultados mais claros. Como regra, eles recorrem a essa etapa se houver suspeita de câncer de próstata. Nesse caso, eles podem fazer uma biópsia.

No caso de prostatite crônica, o médico pode realizar um exame retal da glândula através da parede do reto. Essa técnica permite determinar a dor, tamanho e textura da próstata, além de tomar seu suco para futuras pesquisas de laboratório. Na prostatite aguda, bem como na presença de hemorróidas, o exame retal não é realizado.

A anamnese desempenha um papel importante no diagnóstico da doença; portanto, você precisa responder com extrema sinceridade às perguntas do médico. Um especialista pode esclarecer algumas características de uma vida íntima, tentar descobrir doenças e operações crônicas e registrar queixas. Tudo isso é necessário para um quadro clínico mais completo.

Tratamento para inflamação da próstata

Se a doença tem uma forma crônica, não é complicada por processos purulentos - o paciente pode ser tratado em casa, sob a supervisão ambulatorial de um urologista, caso contrário, será necessária hospitalização. A terapia tem três objetivos - interromper o processo inflamatório, destruir o agente infeccioso e eliminar os sintomas.

Para isso, eles podem recomendar:

  • um curso de medicamentos
  • nutrição especial
  • fisioterapia.

A massagem da próstata na inflamação da próstata desempenha um papel secundário, nem sempre é eficaz, por isso é prescrita de acordo com indicadores individuais.É impossível curar a doença com apenas um efeito mecânico e, com uma abordagem analfabeta, a condição pode ser agravada. A massagem retal é contra-indicada para prostatite calculada, adenoma, câncer de próstata, bem como para algumas patologias na área retal. É impossível realizá-lo independentemente.

Como curar a prostatite?

A terapia medicamentosa visa suprimir os sintomas agudos e erradicar um patógeno infeccioso - o agente causador da infecção. Medicamentos isolados para se livrar completamente da prostatite (especialmente no curso crônico) não são suficientes; portanto, outros métodos de tratamento conservador são necessariamente incluídos no regime terapêutico complexo.

    Massagem da próstata. A massagem da próstata é realizada através do reto. Sua duração geralmente não excede 1,5 minutos, e o curso completo consiste em 10 a 12 procedimentos.

Fortalecer o sistema imunológico e aumentar as funções protetoras do corpo são de grande importância para o sucesso do tratamento da inflamação crônica. Para isso, recomenda-se endurecimento, terapia com exercícios, longas caminhadas ao ar livre, nutrição equilibrada e regular e rejeição de maus hábitos. Pacientes obesos precisam tomar medidas para reduzir o peso corporal (dieta, atividade física adequada, psicocorreção).

Importante! Antes de iniciar o tratamento da prostatite crônica, é necessário realizar um diagnóstico diferencial com o câncer de próstata, uma vez que essas doenças com um curso apagado podem ter uma clínica semelhante. Para identificar fatores oncológicos, é realizada uma análise de um antígeno prostático específico (um aumento no sinal do processo tumoral).

Tratamento medicamentoso

É impossível curar a forma bacteriana da inflamação da próstata sem antibióticos. Existem diferentes tipos desses medicamentos, a seleção do produto certo é baseada no tipo de microrganismo (determinado pela cultura bacteriana), no estado de saúde do homem, na sua idade e em outros fatores.

Uma abordagem moderna da terapia envolve a nomeação de antibióticos de amplo espectro. Estes incluem:

O regime de tratamento e a dosagem são individuais.

Para eliminar a inflamação, vários medicamentos anti-inflamatórios são prescritos. Prostatilen está bem estabelecido - velas ou injeção. A principal substância da droga é o extrato de próstata animal. Após o curso do tratamento, há uma diminuição no inchaço da glândula, uma diminuição na área de inflamação. Ao mesmo tempo, o funcionamento do sistema imunológico é regulado.

O prostatileno não é prescrito na presença de doenças cardiovasculares e aumento da coagulação sanguínea. A dosagem e a forma de dosagem são selecionadas pelo médico, na maioria das vezes prescritos supositórios retais.

Conforme necessário, analgésicos e antipiréticos são prescritos, complexos vitamínicos-minerais e suplementos alimentares são selecionados.

Vídeo - Sintomas e tratamento da prostatite

A inflamação da próstata é uma doença grave que afeta não apenas negativamente a condição de saúde de um homem, mas também afeta negativamente sua qualidade de vida, causando disfunções sexuais, insegurança e falta crônica de sono. Em alguns casos, a prostatite pode provocar infertilidade autoimune, por isso é importante não ignorar seus sintomas e iniciar o tratamento imediatamente após as primeiras queixas. O tratamento da inflamação crônica pode ser demorado e exige que o homem siga rigorosamente as recomendações médicas, bem como uma abordagem responsável ao seu próprio regime, nutrição e prevenção de recaídas repetidas.

Ração alimentar

A dieta do paciente é calculada de acordo com as necessidades diárias de nutrientes e levando em consideração o índice de massa corporal do homem. Nesse caso, o médico tenta escolher produtos que ajudem a restaurar o tecido da próstata e exclui tudo o que aumentará a carga nele.

Com inflamação da próstata, você não pode comer:

  • carnes e peixes gordurosos,
  • especiarias e especiarias
  • álcool, café forte,
  • marinadas, conservas, picles,
  • todos fast food, alimentos de conveniência.

Se forem detectados sinais de intoxicação - a carne é completamente excluída da dieta, o homem é transferido para uma dieta vegetal. No processo inflamatório agudo, uma dieta de laticínios e vegetais é adequada, com a inclusão de laticínios. No entanto, é preciso levar em consideração o estado do trato gastrointestinal - com aumento da formação de gases e tendência à diarréia, essa dieta não é adequada.

Nutrição para prostatite deve ser fracionada, você não pode sobrecarregar os intestinos. Deve haver fibra suficiente na dieta e o sal deve ser limitado. Os pratos são melhor cozidos no vapor ou no forno.

Causas da prostatite

A tuberculose adiada ou não tratada pode servir como um fator no aparecimento de prostatite

A inflamação da próstata ocorre na maioria dos casos devido a patógenos patogênicos que entram no órgão interno.

As complicações que aparecem após essas patologias podem levar ao desenvolvimento de uma doença inflamatória:

Essas doenças são causadas por infecções, cujos agentes causadores podem atingir o sistema geniturinário.

A prostatite começa por outros motivos. As doenças da próstata são freqüentemente causadas por danos aos tecidos moles e órgãos da pélvis pequena, interrupções na circulação sanguínea nessa zona e também pela manutenção de um estilo de vida inativo. O mesmo grupo de fatores adversos inclui doenças crônicas, hipotermia e desequilíbrio hormonal.

Como suspeitar do aparecimento da doença

Se um homem não teve prostatite antes, ele pode enfrentar inflamação aguda da próstata. Seu desenvolvimento começa com um aumento da temperatura corporal geral. Pode subir para 40 graus. Esse sintoma é acompanhado por calafrios severos. Paralelamente, dificuldades no processo de micção começam a aparecer. Torna-se doloroso e desconfortável. Depois de visitar o banheiro, o homem não sente um alívio significativo.

Nesta fase do desenvolvimento da exacerbação, ocorre edema da próstata, que provoca retenção urinária no organismo. Um homem que desenvolve o estágio inicial da prostatite aguda se queixará de dores constantes no períneo, ânus e virilha.

Com patologia, dói fortemente a parte inferior das costas

Homens que sofreram uma doença inflamatória sabem que a dor é o primeiro sintoma da prostatite. Eles podem acompanhar patologias infecciosas e não infecciosas. A primeira variante da doença é mais característica do sexo forte, que tem infecções sexualmente transmissíveis.

Devido à doença, um homem é atormentado por fortes dores e dores na uretra. O aparecimento de uma sensação de queimação no mesmo órgão não é excluído. Esses sintomas são especialmente pronunciados no momento da micção.

O períneo e os testículos começam a doer nos pacientes. A síndrome da dor é capaz de se mover para as articulações. Nesse caso, a dor é intensa e monótona. A dor aumenta significativamente no momento do exame retal da próstata por um médico.

Uma forma não infecciosa de prostatite é mais comumente encontrada em idosos. É causada pelo estilo de vida inativo, que leva a processos estagnados no corpo. Devido à doença, os homens podem se queixar de dor na região lombar e no períneo. Eles cedem para o escroto e pelve. A síndrome da dor com essa doença aparece repentinamente e também passa.

Descarga

Os sinais iniciais da prostatite aguda não se limitam à dor. Como no curso crônico da doença, a descarga anormal aparece nos homens, indicando inflamação.

Existem vários tipos de corrimento, na presença dos quais uma pessoa pode suspeitar do desenvolvimento de prostatite:

  • Espermatorréia.A chamada alocação de esperma cai, que não pode ser controlada. Este fenômeno não está relacionado à excitação de um homem ou ao seu orgasmo. Essa descarga geralmente ocorre durante o exercício, micção e evacuações. Eles são considerados bastante escassos, fluem muito lentamente.
  • Descarga da próstata. Eles podem ser observados mesmo em homens que têm boa saúde. Portanto, eles são geralmente considerados como a norma. A composição deste líquido contém células de muco que morreram. A quantidade de descarga aumenta significativamente se a próstata ficar inflamada.
  • Massas purulentas. Eles aparecem no momento em que a doença é negligenciada. Pus pode conter impurezas de sangue. Por isso, torna-se marrom. A massa em si é colorida de verde ou amarelo.

A secreção purulenta é considerada a mais perigosa, pois indica uma forte progressão do processo inflamatório, que chega ao ponto final. O pus aparece após a microflora patogênica estar na parte inferior da uretra. Por esse motivo, ocorre a estagnação do fluido secretório e o entupimento dos ductos excretores.

Sinais de prostatite crônica

Se a doença não puder ser detectada e curada a tempo, as consequências podem ser muito tristes.

Os primeiros sinais de prostatite crônica nos homens são difíceis de perceber, pois são leves até um certo ponto no desenvolvimento da doença. Portanto, muitos pacientes são incapazes de iniciar o tratamento em tempo hábil, pois não sabem que uma exacerbação da inflamação da próstata começou.

Na maioria dos casos, a prostatite crônica é assintomática e latente. O quadro clínico da doença é leve e quase apagado. Devido a isso, o paciente não sente sinais óbvios de mal-estar, portanto, não vê motivo para entrar em contato com um especialista e se submeter a tratamento.

Por inexperiência, um homem pode confundir esses sintomas de prostatite como uma deterioração da saúde geral e potência prejudicada com fadiga banal. Na verdade, eles são o primeiro sino e uma ocasião para um apelo imediato a um urologista. Se você perder esse momento, a patologia continuará progredindo e a pessoa será perturbada por frequentes recaídas.

Os especialistas reconhecem a prostatite crônica por essas queixas dos homens:

  1. Mudança na duração da relação sexual.
  2. Reduzindo o brilho das sensações durante o sexo e o orgasmo.
  3. Dor no períneo, virilha e púbis, que são leves.
  4. Aparência de descarga do pênis, principalmente pela manhã após acordar.

Se um homem não iniciar o tratamento, a prostatite crônica progride. Seu desenvolvimento ativo leva a um estreitamento do lúmen da uretra. Como resultado disso, surgem dificuldades no processo de esvaziamento da bexiga. Torna-se difícil no início e no final da micção.

Devido ao desenvolvimento do processo inflamatório, as terminações nervosas são ativamente irritadas. Isso explica por que os homens têm uma necessidade constante de ir ao banheiro. A micção rápida, acima de tudo, os incomoda à noite. Ao mesmo tempo, a urina é alocada em porções mínimas.

Um paciente com prostatite crônica certamente prestará atenção às mudanças que ocorreram com sua vida sexual. Devido ao processo patológico, o desejo sexual é inibido. Como resultado, a doença leva à infertilidade, que nem todos podem tratar com sucesso.

Procedimentos fisioterapêuticos

Com o uso adequado, a fisioterapia aumenta o efeito dos medicamentos, ajuda a lidar com a inflamação da próstata e alivia a dor.Na prostatite aguda, antibióticos e anti-inflamatórios são prescritos primeiro, no caso de uma forma crônica, um curso sem preparação prévia é permitido.

Para combater a doença, você pode aplicar:

  • enemas de cura a frio
  • estimulação elétrica
  • eletroforese.

Também são recomendados vários exercícios relacionados à terapia com exercícios destinados a fortalecer os músculos do assoalho pélvico e melhorar a microcirculação sanguínea. Eles ajudam a se livrar de processos estagnados, o que é importante para o tratamento.

A fisioterapia deve ser prescrita por um médico. É impossível determinar independentemente qual efeito é permitido expor a próstata, e um erro nessa questão pode levar a complicações graves.

Sinais de prostatite aguda

Os sintomas da patologia desta forma são acompanhados por dor intensa com pouca necessidade.

O estágio inicial da prostatite aguda e os estágios subsequentes de seu desenvolvimento são acompanhados por sintomas graves que não podem ser ignorados. A doença é caracterizada pelo aparecimento dos seguintes sinais de mal-estar:

  1. Dor aguda durante a micção.
  2. Sintomas de intoxicação.
  3. Problema ao urinar.
  4. Micção frequente, especialmente à noite.

Estes são sinais comuns de prostatite aguda, que são uma manifestação externa da doença. Para confirmar o diagnóstico, o paciente precisa passar por um diagnóstico de corpo inteiro. Os resultados dos testes mostrarão um aumento do nível de leucócitos, a presença de traços de pus e muco no material biológico. Durante a palpação, o paciente experimentará dor intensa, o que também indica o desenvolvimento de inflamação da próstata.

Na inflamação aguda em homens, a temperatura corporal aumenta. Eles estão preocupados com um estado febril. Como regra, medicamentos antipiréticos com essa patologia são ineficazes.

Que outras doenças têm sintomas semelhantes?

Se um homem é suspeito de desenvolver prostatite, é imediatamente oferecido a um diagnóstico diferencial. Permite distinguir a inflamação da próstata de outras condições patológicas que apresentam sintomas semelhantes.

As doenças que apresentam sintomas semelhantes à prostatite podem ser diferenciadas por várias diferenças entre elas:

  • Epididimite e orquite são caracterizadas por danos ao testículo e seu apêndice. Por causa da patologia, um homem tem um claro inchaço do escroto e sua vermelhidão. Ao entrar em contato, a pele fica quente. Ao tocar os testículos, o paciente sente dor intensa,
  • A uretrite é uma inflamação da uretra. Com o seu desenvolvimento, é extremamente raro os homens aumentarem a temperatura corporal. A síndrome da dor está localizada no órgão genital. Se for observada dor no abdome inferior, suspeita-se de cistite no paciente,
  • A cistite é frequentemente confundida com uretrite. Freqüentemente esses dois processos patológicos se desenvolvem paralelamente um ao outro. Com a doença, um homem precisa constantemente de um banheiro. No final do processo de micção, algumas gotas de sangue podem ser liberadas,
  • A pielonefrite é acompanhada por dor na região lombar e diminuição da micção. Um paciente com essa doença tem um aumento na temperatura corporal geral. A perda de sangue durante a micção não é excluída.

A prostatite crônica pode ser confundida com adenoma da próstata ou um tumor maligno neste órgão. Neste último caso, o paciente experimentará uma perda significativa de sangue durante a micção e uma deterioração notável na saúde geral.

Métodos de tratamento

O regime de tratamento é prescrito pelo médico individualmente, com base em todos os testes enviados anteriormente

Sabendo quais são os primeiros sinais de prostatite masculina, uma pessoa pode identificá-las oportunamente e consultar um médico.

O tratamento da prostatite aguda ou crônica é iniciado após medidas de diagnóstico.O combate à doença, na maioria dos casos, é realizado em nível ambulatorial.

Manifestações de prostatite em 1 e outros estágios de desenvolvimento são tratadas como um dos dois princípios principais da terapia complexa:

  • antibacteriano, que prevê a reabilitação de focos inflamatórios,
  • Curso de bem-estar destinado a normalizar o fluxo sanguíneo e seu fortalecimento na próstata.

A terapia medicamentosa para prostatite geralmente é baseada em antibióticos. Eles ajudam a derrotar a microflora patogênica e a prevenir o desenvolvimento de infecções secundárias. Além disso, o médico prescreve medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos.

Um curso individual de terapia é selecionado para cada homem que foi diagnosticado com prostatite crônica ou aguda. Ao escolher medicamentos e procedimentos fisioterapêuticos, o urologista deve levar em consideração o estado atual do paciente, suas queixas, a gravidade dos sintomas e o estágio de desenvolvimento da patologia.

Como terapia adjuvante, podem ser utilizados complexos multivitamínicos. Sua ação visa melhorar as funções protetoras do corpo, que foram enfraquecidas devido ao combate ao processo inflamatório.

Após a recuperação, um homem que contraiu prostatite deve tomar cuidado para evitar a recorrência da inflamação. A atitude atenta à própria saúde ajuda a consolidar o resultado alcançado durante o tratamento médico e fisioterapêutico. Também afeta a obtenção de remissão estável, necessária para uma pessoa com prostatite crônica.

O significado do termo "prostatite"

Sob esse termo, é habitual entender o desenvolvimento do processo inflamatório nos tecidos da próstata. Como está presente apenas no corpo masculino, a doença é comum nessa população. Sua principal função é a produção de um fluido específico, envolvido nos seguintes processos:

  • forma e suporta um certo ambiente na uretra,
  • liquefaz sêmen
  • fornece viabilidade espermática,
  • protege o sistema geniturinário da infecção.


Sob a influência de vários fatores, a excreção do segredo diminui, o que por si só se torna uma violação. As células epiteliais do tecido da próstata são periodicamente descamadas, mas devido à congestão, não são excretadas, mas se acumulam, formando micrólitos - pequenas pedras. Cobertos de muco, obstruem os ductos glandulares, levando à formação de pequenos abscessos. Durante esse período, o órgão ainda continua funcionando normalmente, não há manifestações externas negativas.

A progressão do processo (o acúmulo de formações densas, um aumento na concentração de conteúdos purulentos) leva a um aumento no órgão e à compressão do ureter, vasos sanguíneos, terminações nervosas. Esta é uma das causas da doença.

Autodiagnóstico em casa

Quais são os primeiros sinais de prostatite nos homens?

Saída de urina difícil. A compressão do canal uretral pelo aumento do tecido da próstata leva ao seu estreitamento e, como resultado, à obstrução da saída de urina. O paciente tem que fazer algum esforço ao cometer a micção.

Rápida produção de urina. Os desejos de esvaziar a bexiga estão se tornando mais frequentes. No início, isso acontece à noite, mais tarde durante o dia. Escrevendo-o em uma xícara extra de chá, o homem continua ignorando as violações.


Dor no abdome inferior. O sintoma é uma conseqüência do acúmulo de micrólitos. As sensações se tornam desagradáveis ​​e têm um caráter doloroso de pressão, puxão ou explosão. À noite ou após o esforço físico, eles podem se intensificar.

Disfunção erétil e ejaculação. A síndrome ocorre num contexto de estagnação e raramente aparece.Escrevendo como fadiga e estresse, o paciente também desconsidera esse sintoma.

Muitas vezes, o paciente se queixa de uma deterioração geral, um aumento da temperatura corporal, que também é um sinal de um processo em desenvolvimento.

Os primeiros sinais de prostatite nos homens requerem tratamento, caso contrário, o processo entrará em uma forma prolongada.

Sintomas de inflamação aguda

A insidiosidade da prostatite reside no fato de que, sem manifestações características no início, inicia um desenvolvimento nítido e rápido, mas rapidamente se torna crônico.

Para não perder o momento e iniciar o tratamento a tempo, é necessária uma idéia clara dos sintomas da forma aguda.

  1. Febre, calafrios.
  2. Aumento da temperatura corporal para valores críticos (39 ° C).
  3. Dor intensa no períneo, região lombar e inguinal.
  4. Distúrbios da micção - desejos frequentes e falsos, fluxo obstruído de urina ou sua interrupção temporária.
  5. Intoxicação grave - dor de cabeça, fraqueza, dor nas articulações e músculos, taquicardia.
  6. Descarga transparente ou esbranquiçada da uretra.

O exame digital retal se torna impossível devido à formação de dor. Além disso, é contraindicado, pois durante o exame pode ocorrer disseminação (disseminação) da infecção pela corrente sanguínea e desenvolvimento de sepse.

Manifestações de recaída crônica

De forma lenta, podem ocorrer processos patológicos de diferentes tipos de doenças. No entanto, com base nas queixas dos pacientes e nos dados de diagnóstico, os especialistas distinguem os seguintes sinais de prostatite crônica geral:

  1. Desconforto, dor leve no períneo, irradiando para o sacro, região lombar, escroto, fraqueza e dores no corpo.
  2. Peso e dor no canal urinário durante a relação sexual ou micção. A presença de secreção purulenta-serosa da uretra.
  3. Micção frequente, acompanhada no final do processo por uma sensação de esvaziamento incompleto.
  4. Falha na fertilização associada à falta de motilidade espermática, aglutinação ou aumento da acidez da secreção.
  5. Violação da ejaculação (prematura ou, inversamente, prolongada), dor ou sensações apagadas com o orgasmo.

Tipos de doença e seus sintomas associados

Os urologistas distinguem vários estágios da inflamação crônica da glândula, cada um dos quais corresponde a certas manifestações.

Uma característica de todas as espécies é uma dor leve no assoalho pélvico.

Forma de prostatiteSintomas
Bacteriano crônicoDisúria, ejaculação precoce
Síndrome da dor pélvicaA ausência de outras manifestações além da dor
1. InflamatórioProblemas graves de micção, desconforto genital
2. EstagnadoEm alguns casos, disúria, desconforto
AssintomáticoNão há manifestações clínicas.

Exame inicial por um médico

Anamnese - uma pesquisa com o paciente e análise de sintomas externos, é uma das etapas importantes do diagnóstico. Durante a conversa, o médico determina a presença de sinais clínicos e as causas do desenvolvimento do processo patológico. Aqui o estilo de vida do paciente, maus hábitos, o uso de métodos contraceptivos e a presença de um parceiro sexual são importantes. Ao mesmo tempo, ele chama a atenção para a probabilidade de doenças existentes de parentes próximos e uma predisposição hereditária.

O próximo passo é um exame digital retal da próstata. A palpação é realizada para determinar parâmetros como:

  • tamanho do corpo
  • estrutura e contornos
  • a presença de selos,
  • dor.

Testes laboratoriais

O próximo passo é realizar análises. Como essa categoria é bastante extensa, a necessidade de cada uma delas é determinada apenas por um urologista.

OAM caracteriza o estado geral do sistema urinário.O aumento do conteúdo de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e proteínas, bem como a presença de muco e outras impurezas, indica um curso extenso do processo inflamatório.

O esfregaço uretral é um procedimento doloroso e desagradável, que permite, no entanto, determinar a presença de infecção e estabelecer seu tipo.

A cultura bacteriológica da urina permite identificar a localização da lesão, o tipo de infecção e o tipo de patógeno.

A análise citológica do líquido seminal é realizada para determinar suas propriedades físico-químicas, motilidade, atividade e concentração de espermatozóides, bem como o nível de PSA. O biomaterial é coletado diretamente no laboratório após a massagem na próstata.

A condição do procedimento é a abstinência sexual durante o dia. Se você suspeitar de um processo crônico, esse tipo de estudo é realizado sistematicamente.

Sintomas detectados por métodos instrumentais de diagnóstico

Os métodos de hardware são reconhecidos como os mais eficazes, devido à obtenção de informações precisas e detalhadas sobre as características físicas da próstata e as alegadas alterações patológicas em seus tecidos. Eles facilitaram muito o trabalho dos médicos.

Da variedade de espécies, via de regra, apenas o ultra-som é realizado e os demais métodos são utilizados, se necessário, para obter resultados adicionais.

O ultra-som é realizado para visualizar a glândula e determinar sua condição geral, tamanho e consistência. O método transretal - TRUSI é considerado mais informativo. Um sensor especial é inserido no reto, o que permite determinar a aparência do órgão, identificar tumores, aderências, cálculos, calcificações, formações císticas e outras anormalidades patológicas.

A ressonância magnética é usada para determinar o tipo de prostatite e um refinamento mais profundo dos resultados obtidos anteriormente, especialmente se alguns detalhes permanecerem obscuros.

A urofluxometria determina a velocidade do fluxo de urina, o tempo que atinge seu valor máximo, o volume de urina. É realizado usando um dispositivo especial.

A cistoscopia usando uma sonda fina possibilita avaliar a condição da bexiga e do canal uretral, bem como identificar alterações patológicas suspeitas e existentes.

Uma biópsia é realizada se houver suspeita da natureza oncológica da doença, a fim de excluí-la.

Perigos do curso assintomático da doença

A prostatite, que não apresenta sintomas, se desenvolve em pacientes com idade mais avançada.

As razões para sua aparência são:

  • hipotermia frequente,
  • constipação e falta de exercício,
  • imunidade enfraquecida
  • diminuição da atividade sexual,
  • a presença de patologias crônicas.

Os fatores provocadores são:

  • idade do homem
  • diminuição da produção hormonal,
  • enfraquecimento das funções protetoras da próstata
  • processos degenerativos em seus tecidos.

A falta de tratamento devido à incapacidade de detectar atempadamente a doença leva às seguintes consequências:

  • disfunção erétil persistente,
  • fibrose do tecido da próstata,
  • desenvolvimento de insuficiência renal e hepática,
  • urolitíase,
  • hiperplasia prostática benigna, adenoma, câncer.

Acesso prematuro a um médico: complicações

O perigo da prostatite reside na sua rápida transição para uma forma crônica com sintomas embaçados e na ausência de um quadro clínico pronunciado, como em um curso agudo.

Este formulário pode não aparecer por um longo período de tempo, o que leva a processos irreversíveis nos tecidos da glândula e várias complicações:

  • vesiculite, uretrite posterior,
  • abscesso prostático
  • esclerose do tecido da glândula e obstrução do ducto deferente
  • massas policísticas
  • desenvolvimento de forma calculada,
  • impotência e infertilidade, problemas com a concepção,
  • patologia do sistema urinário - cistite, pielonefrite, urolitíase,
  • distúrbios neuropsicogênicos - apatia, depressão prolongada, diminuição da auto-estima.

Tratamento sintomático

Manifestações agudas da doença são extremamente dolorosas para o paciente. Portanto, a principal tarefa é eliminá-los. Para isso, é utilizado tratamento médico. Com prostatite em homens, os medicamentos são prescritos dependendo dos sintomas expressos:

  1. Medicamentos antibacterianos para eliminar o patógeno.
  2. Diuréticos - medicamentos para estabilizar a bexiga, a fim de melhorar a saída de urina.
  3. Analgésicos - para eliminar dores na cabeça, articulações e músculos.
  4. Antiespasmódicos e alfa-1-bloqueadores - para relaxar os músculos lisos.


Supositórios retais são considerados uma forma de dosagem eficaz. Para aliviar os sintomas agudos, são utilizados supositórios:

  1. Com um antibiótico que elimina cólicas dolorosas e luta contra manifestações infecciosas.
  2. Com AINEs, nivelando processos inflamatórios.
  3. Analgésicos com analgésico, melhorando a microcirculação sanguínea e restaurando o estado normal da próstata.

Eliminando a causa da inflamação

Após o alívio dos sintomas agudos, é necessário iniciar o tratamento das principais manifestações. O tratamento neste caso visa eliminar a infecção e restaurar a circulação sanguínea. Para esses fins, os seguintes grupos de drogas são usados:

  • antibióticos em comprimidos
  • medicamentos anti-inflamatórios
  • imunomoduladores
  • remédios de ervas.

Se não houver manifestações agudas, mas os sinais de prostatite nos homens persistirem, o paciente continuará sendo tratado com fisioterapia, medicina tradicional (óleo de semente de abóbora, gengibre e outras drogas), métodos alternativos (tratamento com sanguessugas, picadas de abelha, terapia manual). Muitas vezes, um resultado positivo é alcançado somente após a correção adequada da nutrição.

Prevenção de prostatite primária e sintomas de exacerbação de uma forma crônica

A medicina moderna lida com sucesso com a eliminação da prostatite, apesar do longo tempo de tratamento.

Para homens que sofreram uma forma aguda ou mal se recuperaram de um curso crônico, é importante observar medidas preventivas:

  1. Mudança de estilo de vida:
    • caminhadas regulares
    • esportes ativos,
    • desistindo de maus hábitos.
  1. Restaurando o comportamento sexual normal:
    • escolhendo um parceiro confiável,
    • rejeição de relacionamentos confusos,
    • relações sexuais regulares
    • relação sexual protegida.
  1. Dieta:
    • recusa de alimentos gordurosos, fritos e picantes,
    • o uso de alimentos saudáveis ​​e naturais.
  1. Exame profilático por um médico:
    • exames regulares - uma vez a cada seis meses -,
    • passando um curso de terapia de manutenção,
    • realizando exercícios de ginástica.

Nas condições de vida modernas, a inflamação da próstata não é uma sentença. Apesar da gravidade e complexidade do curso, da variedade de espécies clínicas, a doença pode ser perfeitamente tratada. No entanto, para evitar conseqüências perigosas e o desenvolvimento de complicações sérias, é necessário entrar em contato com especialistas em tempo hábil. E para isso, você precisa conhecer todas as características dos sinais e sintomas da prostatite.

Etiologia

A principal fonte do aparecimento de uma doença desse tipo são as infecções, cujos agentes causadores são esses microorganismos:

O risco de desenvolver um processo inflamatório aumenta no contexto dos seguintes motivos:

  • hipotermia prolongada do corpo,
  • falta de atividade física na vida de uma pessoa,
  • constipação crônica
  • distúrbios no ritmo normal da atividade sexual. Isso pode incluir atos sexuais excessivamente frequentes ou, inversamente, abstinência prolongada de sexo,
  • a presença de doenças crônicas de natureza infecciosa,
  • obesidade
  • trauma prévio nos órgãos genitais, que causou uma violação da circulação sanguínea local,
  • desequilíbrio hormonal,
  • falta de vitaminas e nutrientes no corpo de um homem,
  • dependência de maus hábitos, nomeadamente fumar e beber bebidas alcoólicas,
  • mudanças frequentes de parceiros sexuais,
  • relação sexual desprotegida,
  • atividade física excessiva, que pode levar a uma violação da secreção das glândulas sexuais,
  • contato sexual interrompido,
  • a presença de processos inflamatórios no reto,
  • abaixando o sistema imunológico,
  • desidratação grave,
  • fatores hereditários
  • patologias urológicas anteriores - seu curso pode levar ao desenvolvimento de complicações como inflamação da próstata ou adenoma da próstata.

Um dos fatores acima pode afetar o aparecimento de prostatite, além de vários.

Sinais de prostatite - o que procurar?

Os sintomas de muitas doenças são semelhantes, por exemplo, o distúrbio de micção pode ocorrer com prostatite e adenoma de próstata. Os sinais de qualquer doença mais especificamente a caracterizam, uma vez que se referem apenas a ela, evitando redações vagas.

Sinais comuns de prostatite têm características próprias em cada estágio específico da doença. Por exemplo, na forma aguda de inflamação avançada da próstata, não apenas inflamações purulentas podem se desenvolver nesse órgão glandular-muscular, mas também formação de cavidades de abscesso. Muitas vezes, essa condição é acompanhada por uma temperatura bastante alta, sem diminuir, cortes na parte inferior do abdômen, região suprapúbica, períneo e parte superior das coxas. Necessidade frequente de urinar, mas a saída de urina é muito mais difícil, pois a uretra é espremida pela próstata a tal ponto que, em alguns casos, apenas a intervenção médica pode ajudar a esvaziar a bexiga.

É mais provável que esses sinais de prostatite sejam característicos de pessoas em risco: pacientes com imunidade extremamente baixa, pacientes com dependência de drogas e alcoolismo e pacientes com câncer.

Na maioria dos homens, a inflamação da próstata não se manifesta explicitamente. Os sinais latentes de prostatite são manifestados apenas por alguns distúrbios leves: micção frequente, secreção periódica da uretra, queimação e coceira no ureter, potência diminuída, diminuição da qualidade dos espermatozóides e, como resultado, incapacidade de conceber, bem como dor na região pubiana, períneo e genitais.

Se você não prestar atenção a esses sinais de prostatite, como resultado, várias consequências negativas podem ocorrer, por exemplo, alterações significativas no próprio corpo da próstata, até a necessidade de intervenção cirúrgica.

Sintomatologia

A manifestação clínica de tal doença variará dependendo da forma em que ocorre. Assim, os sintomas de inflamação aguda da próstata serão os seguintes:

  • um aumento da temperatura corporal, que geralmente é acompanhado por calafrios severos,
  • o aparecimento de dor pronunciada na região da virilha,
  • ardor e desconforto durante a micção,
  • enfraquecimento perceptível do fluxo de urina,
  • dores de cabeça severas
  • fraqueza geral e mal-estar,
  • vontade frequente e muitas vezes falsa de visitar o banheiro para esvaziar a bexiga,
  • retenção ou vazamento urinário,
  • irritabilidade aumentada e desconforto emocional,
  • sensação de esvaziamento incompleto da bexiga,
  • distúrbio do sono
  • líquido purulento da uretra - isso acontece nos casos de fixação purulenta,
  • aumento da frequência cardíaca.

O processo inflamatório crônico na próstata é muito raramente o resultado de inflamação aguda não tratada. Freqüentemente, a causa é o curso crônico de outra inflamação nos órgãos do sistema geniturinário.

Os principais sintomas da inflamação da próstata de uma forma lenta:

  • dor leve durante a micção,
  • desejo sexual diminuído,
  • fadiga
  • irradiação da dor da virilha para a região lombar e períneo,
  • o aparecimento na urina de flocos brancos pela manhã,
  • ereções noturnas frequentes,
  • orgasmo apagado ou sua completa ausência,
  • mudança na intensidade da dor durante o sexo,
  • duração reduzida da ereção.

Em alguns casos, o principal sinal clínico de inflamação da próstata é a infertilidade masculina.

Os primeiros sinais de prostatite nos homens: preste atenção às mudanças

Apesar da multiplicidade de variações na manifestação dos sintomas de inflamação da próstata, há um certo "conjunto" de sinais da doença, cuja presença deve alertar o homem e impedir o desenvolvimento de patologias.

Os primeiros sinais de prostatite nos homens:

  • Um aumento da temperatura corporal, pois é uma reação natural do corpo ao processo inflamatório.
  • Mudança na frequência do desejo de urinar para cima (especialmente à noite).
  • Sensações desconfortáveis ​​na uretra: sensação de queimação, irritação, dor durante a micção.
  • O aparecimento de formações filamentosas de cor branca na urina.
  • Dor no abdome inferior.
  • Potência reduzida, dor durante a ejaculação.

Os primeiros sinais de prostatite nos homens de forma crônica são quase idênticos aos sintomas da fase aguda da doença, mas são adicionalmente complementados por uma diminuição significativa do prazer da relação sexual, o chamado orgasmo "borrado", no qual não há nitidez prévia das sensações e satisfação completa não ocorre. Os homens também podem perceber como o muco é liberado da uretra durante a evacuação.

Sintomas da prostatite

  • sensação comum fraquezas e mal-estar grave,
  • frequentemente temperatura corporal aumentadores de cabeça perseguindo
  • dor intensa no períneo, que aumenta com a micção e os movimentos intestinais,
  • um desejo frequente de ir ao banheiro, o que não traz satisfação - a bexiga não esvazia completamente. Isso, por sua vez, aumenta a irritabilidade e a irritabilidade nervosa. Em casos clínicos, é possível o desenvolvimento de retenção urinária aguda.
  • O curso, em regra, é assintomático, uma pessoa praticamente não apresenta queixas (ou pode não estar ciente delas).

    Sinais pronunciados da doença quase nunca são observados.

    Sintomas gerais:

    • problemas de potência
    • desenvolvimento de distúrbios nervosos,
    • mal-estar
    • a dor no perblast, virilha e púbis é de curto prazo e passa rapidamente.,
    • a presença de descarga da uretra (mais frequentemente pela manhã), remanescente do aparecimento de flocos brancos.

    Micção freqüente
    Exorta a urinar com mais frequência, à noite e durante o dia.

    O processo de micção é acompanhado por sensações dolorosas ("Como se estivesse cortando") no abdome inferior.

    A sensação dolorosa pode se tornar crônica (ou seja, permanente) e não apenas se manifestar durante a micção.

    Micção freqüente, juntamente com dor, geralmente indica uma forma crônica.

    Uma sensação de plenitude constante da bexiga
    Após a conclusão do ato, resta a sensação de que a bexiga ainda está cheia. Aumenta a irritabilidade e a dúvida. Pode ocorrer em ambas as formas de desenvolvimento da doença. É necessário procurar ajuda médica, porque o desenvolvimento extremo desse sintoma é a retenção urinária.

    Sangue na urina
    Um sintoma raro. Pode indicar:

    • O desenvolvimento de processos purulentos e inflamatórios.
    • Por lesão.
    • Para prostatite com complicação - hiperplasia (uma doença separada, caracterizada por um aumento no número de elementos estruturais do tecido, a formação excessiva de células é tratada separadamente).

    Fadiga
    É uma consequência da doença.Em primeiro lugar, na ausência de tratamento, o corpo compensa sozinho a doença, o que se reflete nos recursos mentais.

    Talvez maior irritabilidade e fadiga, além de estados depressivos. Ele se desenvolve mais frequentemente com uma forma crônica.

    Dor no períneo
    Dor no escroto. Na ausência de tratamento, eles se intensificam. Desenvolve-se tanto na forma crônica quanto na aguda.

    Disfunção sexual
    Uma ereção piora e "diminui", a duração da relação sexual é visivelmente reduzida. A ereção espontânea da manhã também desaparece.

    É um sinal indireto, geralmente indica uma forma crônica.

    Dificuldade durante evacuações
    Pode haver dor no reto durante os movimentos intestinais, pus. Fala sobre forma aguda.

    Aumento da transpiração
    Essa reação vegetativa pode indicar uma forma crônica da doença. O aumento da transpiração é frequentemente observado no períneo.

    Pode ir "junto" com distúrbios emocionais (uma consequência de excitação e fatores psicogênicos).

    Sinais secundários de inflamação da próstata em homens

    Infelizmente, ao descobrir os primeiros sinais de prostatite, a grande maioria dos homens não tem pressa de ir à clínica, esperando que tudo volte ao normal. No entanto, com o tempo, os sintomas só pioram, além disso, sinais mais desagradáveis ​​certamente serão adicionados à doença.

    Sinais secundários de inflamação da próstata nos homens:

    • Dor durante a micção. Em casos extremamente avançados, é possível o aparecimento de sangue na urina.
    • É preciso muito esforço para esvaziar a bexiga.. O fluxo de urina é fino e intermitente, uma sensação de plenitude da bexiga depois de visitar o banheiro, às vezes apenas um médico pode ajudar a lidar com a estagnação da urina.
    • Reduzindo a qualidade de uma ereção até o aparecimento de impotência temporária.

    Quadro clínico e desenvolvimento

    O curso do processo inflamatório leva a um estreitamento do lúmen da uretra e à irritação das terminações nervosas, que são expressas em violação do processo de micção (como você sabe, isso acontece muitas vezes à noite várias vezes à noite, a micção é realizada em "pequenas porções", não há sensação de satisfação pelo fato de a bexiga estar vazia completamente).

    Você pode se familiarizar com as manifestações da prostatite nos seguintes materiais:

    Com quem entrar em contato?

    Se forem detectados sintomas de prostatite em um homem, o tratamento deve começar com uma visita ao urologista e andrologista.

    Durante as medidas de reabilitação (após o tratamento principal), é recomendável consultar um fisioterapeuta, um especialista em exercícios de fisioterapia e um psicólogo para normalizar o estado mental do paciente.

    Tratamento de prostatite

    Para que o tratamento da prostatite termine com sucesso, deve ser estabelecida uma relação de confiança entre o urologista e o paciente. Alguns homens não pagam pelos sintomas da prostatite, outros têm vergonha ou medo de apresentar queixas sobre sua condição. Você deve seguir todas as recomendações e prescrições do seu médico. Geralmente, os pacientes recebem tratamento ambulatorial por até 1,5 meses.

    Na medicina moderna, existem vários métodos de tratamento, a prostatite, que são aplicados de maneira complexa. E para cada pessoa, o curso do tratamento deve ser selecionado individualmente, levando em consideração as características do corpo e o curso da doença.

    Inflamação da próstata: sintomas causados ​​por prostatite e outras doenças

    Na cistite, uretrite e prostatite, a micção é igualmente frequente e dolorosa, com uma sensação de queimação, principalmente no final do processo, dificuldade em esvaziar a bexiga. Em todos os casos com essas doenças, a urina pode estar turva e conter impurezas no sangue. Muitas vezes há fraqueza, náusea, febre.

    O adenoma (tumor benigno) da próstata e algumas prostatites têm os seguintes sintomas da doença: a próstata é aumentada, pressionando a uretra, interfere no esvaziamento completo e fácil da bexiga, o paciente tem um desejo falso de urinar. O fluxo de urina é fino, intermitente, não possui a pressão adequada, existem casos frequentes de processos congestivos na bexiga, distúrbios do sono noturno devido a visitas frequentes ao banheiro.

    Câncer de bexiga e inflamação da próstata: os sintomas dessas duas doenças também são muito semelhantes. Micção dolorosa, dor no abdome inferior, impurezas na urina, plenitude da bexiga depois de ir ao banheiro e fadiga crônica.

    Como, então, distinguir os sintomas da prostatite dos sintomas de outras doenças, uma vez que são tão semelhantes em suas manifestações?

    O fato é que o médico durante o exame identifica e examina todo o quadro da doença como um todo, complementando-o com análises, dados de um diagnóstico não invasivo e a presença de outros sintomas característicos de doenças específicas. E somente depois de se assegurar totalmente da correção do diagnóstico, o médico prescreve antibióticos, procedimentos e outras medidas terapêuticas.

    Sinais precoces

    O primeiro sinal de inflamação da próstata são problemas com a micção. Um sintoma ocorre devido à sobreposição da glândula aumentada da uretra, irritação das terminações nervosas.

    Micção difícil, intermitente, rápida,

    Urina gota a gota, em pequenas porções,

    O fluxo de urina, que ocorre involuntariamente,

    Micção freqüente,

    Micção falsa

    Sensação de esvaziamento incompleto da bexiga,

    Desejos frequentes à noite,

    Incontinência urinária quando solicitado.

    A inflamação da próstata é caracterizada por sintomas clássicos do processo inflamatório, de modo que o aparecimento da dor é um sintoma precoce. A glândula em si não dói, mas comprime as terminações nervosas que passam para os órgãos pélvicos. Sensações desagradáveis ​​manifestam-se de todas as formas diferentes: desde doloridas, quase imperceptíveis, até dores agudas e insuportáveis. Sensações desagradáveis ​​podem diminuir ou se intensificar devido a fatores externos: atividade sexual, abstinência prolongada.

    A dor pode ocorrer nas seguintes áreas:

    Coxas,

    Sintomas mais comuns

    Os sintomas comuns da doença incluem vários sinais que mais incomodam um homem:

    Problema ao urinar (dor, desejo frequente, incontinência). Problemas com a micção são um dos primeiros sinais de patologia e podem se manifestar de maneiras diferentes. Além de sensações desagradáveis ​​ou dolorosas, há uma sensação de queimação, vazamento lento de urina. O paciente não deixa uma sensação de esvaziamento incompleto e, para o esvaziamento completo, é necessário fazer esforços,

    Dor pélvica

    Distúrbios sexuais (impotência, dor durante uma ereção, diminuição da libido, sangue no sêmen, corrimento). Na forma aguda da doença, os problemas são temporários, nas patologias crônicas eles se tornam permanentes,

    Os problemas com o sistema reprodutivo geralmente causam distúrbios nervosos na forma de estresse, apatia, depressão, agressão, mudanças frequentes de humor, distúrbios do sono,

    Sintomas de natureza geral - calafrios, mal-estar, febre, fraqueza, dor de cabeça,

    A violação do funcionamento normal ocorre com o estreitamento da uretra e a estagnação da urina. O paciente sente desconforto constante, o ritmo da vida é perturbado, torna-se impossível relaxar e trabalhar completamente.

    Tipos de prostatite e suas manifestações

    Dependendo da causa, do curso do processo inflamatório e das manifestações da prostatite, existem vários tipos:

    Bacteriano agudo.É caracterizada por dor ao urinar, dor e desconforto na região inguinal, disfunções sexuais, aparecimento de secreções puxantes, ereção fraca, ejaculação dolorosa, sangue no líquido seminal. Também ocorrem sintomas de intoxicação geral do corpo: calafrios, febre, fraqueza,

    Vírus agudo. A inflamação da próstata pode ser causada por vírus do herpes, citomegalia, vírus do papiloma. A doença se manifesta com problemas de micção, alterações reprodutivas, aparecimento de dor com radiação nos órgãos genitais, períneo. No sangue do paciente, há uma alteração que indica inflamação no corpo, leucocitose. Na secreção da glândula, o número de grãos de lecitina diminui

    A inflamação bacteriana crônica ocorre devido a lesões do aparelho geniturinário ou é uma conseqüência de um processo agudo. A doença manifesta-se com freqüentes impulsos para urinar, dor e queimação durante a micção, ocorrência de freqüentes impulsos à noite, dificuldades ao ir ao banheiro, hemosspermia, um ligeiro aumento da temperatura corporal. Os sintomas ocorrem gradualmente, períodos de exacerbação podem alternar com períodos de remissão,

    A prostatite não bacteriana crônica ocorre quando a circulação sanguínea é perturbada, o sistema imunológico é prejudicado e a secreção da glândula estagnada. Manifesta-se como dor na região pélvica, dificuldade em urinar, ejaculação dolorosa, dor por intimidade sexual, mal-estar geral.

    O tipo granulomatoso da doença não apresenta manifestações vívidas. Ocorre ao irradiar ou tomar certos medicamentos. É caracterizada pela substituição da glândula por tecido conjuntivo, pelo que a próstata deixa de funcionar,

    Prostatite crônica - a síndrome da dor pélvica crônica se manifesta pela ocorrência de dor de intensidade variável na virilha e na pelve. A dor incomoda o paciente há mais de três meses. Nesse caso, são observados distúrbios psicológicos e nervosos. A doença requer um diagnóstico completo, pois a análise pode não mostrar sinais de inflamação,

    A prostatite crônica assintomática praticamente não causa sintomas e pode ocorrer por acaso durante um exame ou exame de rotina. O exame de urina terá uma alta concentração de glóbulos brancos e bactérias.

    Sintomas tardios

    As manifestações tardias da doença ocorrem com sua longa existência. Isso é observado nos tipos crônicos de inflamação. A prostatite crônica é caracterizada por períodos alternados de exacerbação e remissão. Ele é perigoso por suas manifestações letárgicas, nas quais um homem pode não prestar a atenção necessária à doença. Os sintomas tardios incluem:

    Dor na bexiga, órgãos genitais, períneo, escroto, áreas inguinal, suprapúbica e sacro-sacral,

    Dor durante a ereção e a ejaculação, que desaparecem sozinhas em uma hora,

    Aperto e dor no períneo,

    Desenho dores na região da virilha,

    Dor ardente durante a micção,

    Micção freqüente e dolorosa

    Excreção de urina em pequenas porções,

    Urina estagnada, que causa dor e pode causar inflamação da bexiga,

    Violações no campo da vida sexual: disfunção sexual, desejo diminuído, dor durante a intimidade, problemas com ereção, curta duração da relação sexual.

    Complicações

    Quando os primeiros sinais aparecem, a inflamação da próstata deve ser consultada por um especialista e realizar o tratamento necessário. Muitas vezes, os homens podem não prestar atenção aos sintomas periódicos e esperar que a doença desapareça. No entanto, a patologia está progredindo e requer tratamento urgente. Qualquer forma da doença pode provocar uma doença de outros órgãos: rins, bexiga e sistema geniturinário. Se não tratada, a doença pode causar várias complicações:

    Vesiculite - a inflamação das vesículas seminais manifesta-se por sintomas agudos: dor na virilha e na pelve, dor durante a ereção e a ejaculação, micção frequente. Os sintomas podem ser facilmente confundidos com a prostatite, o que levará a um tratamento ainda mais complexo e demorado,

    A esclerose glandular é acompanhada por dor pélvica, insuficiência renal, comprometimento da bexiga e produção de urina, retenção urinária aguda,

    Um abscesso da próstata é manifestado por dor latejante aguda na glândula, reto e períneo. É acompanhado por uma violação da micção, um ato de defecação, febre, calafrios. Se não for tratado, o conteúdo purulento pode explodir na cavidade abdominal, períneo, escroto, uretra,

    A cistite é uma inflamação da membrana mucosa da bexiga que ocorre devido à infecção de um órgão ou estagnação da urina. Manifesta-se como micção freqüente e dolorosa, dor e desconforto na área do órgão,

    Pielonefrite - inflamação infecciosa dos rins, caracterizada por dor, diminuição da micção, aumento acentuado da temperatura corporal e violação das condições gerais do paciente,

    Disfunção sexual - manifesta-se em uma violação de potência, na impossibilidade de intimidade sexual normal e na ocorrência de sensações desagradáveis,

    A infertilidade é o resultado da falta de tratamento para o processo inflamatório e disfunção sexual,

    O câncer é uma degeneração maligna das células da glândula.

    Métodos populares

    Para monoterapia, várias infusões e decocções não são adequadas, mas serão indispensáveis ​​como adjuvantes. As plantas contêm uma variedade de substâncias, incluindo vitaminas, selênio e magnésio, que são importantes para a próstata, para que a cura aconteça mais rapidamente. Mais frequentemente, essa abordagem é justificada na inflamação crônica, na forma aguda, os princípios do tratamento são fundamentalmente diferentes.

    As seguintes receitas estão mais disponíveis:

    1. Despeje 3 g de pó de raiz de orquídea em pó em 500 ml de água e ferva por 10 minutos. Beba 50 ml de manhã, ao almoço e à noite.
    2. Despeje 40 g de raiz de marshmallow em um copo e despeje água até as bordas, mantenha em banho-maria por 20 minutos, beba um terço do copo três vezes ao dia.
    3. Despeje 20 g de raiz de aipo com um copo de água fervente, cozinhe em banho-maria por 15 minutos, coe e beba 100 ml de manhã e à noite.

    Sementes de abóbora ajudam muito com a inflamação da próstata. Eles podem ser consumidos crus, fritos ou misturados com mel. Também é bom fazer pó a partir desta matéria-prima e adicioná-lo às saladas.

    Conclusão

    A inflamação da próstata, de uma forma ou de outra, é detectada em quase todos os homens, independentemente da idade. Conversamos sobre como tratar a doença em casa e o que os médicos farão, mas não pedimos automedicação.

    Lembre-se de que, com a prostatite, é importante identificar corretamente o patógeno, e isso é impossível sem consultar um urologista. Vários medicamentos e técnicas serão eficazes apenas nos casos em que o diagnóstico estiver correto. Não se exponha ao risco de infertilidade e outras complicações; consulte um médico com problemas.

    Método de medicação

    O principal e método inicial de tratamento. As peculiaridades do uso dependem do grau de desenvolvimento da doença: são usados ​​medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos do espectro, medicamentos contra infecções.

    Usando velas
    Primeiro de tudo, você não deve atribuir velas a si próprio.

    Isso é feito por um urologista. As velas são usadas para todas as formas do curso da doença: nas formas aguda e crônica, também são usadas para fins profiláticos (impedindo o desenvolvimento da doença).

    Fisioterapia

    Método de estimulação elétrica
    É também um dos tratamentos mais comuns para prostatite. Mais importante: as qualificações do médico e o nível tecnológico do dispositivo utilizado.

    Recomenda-se usar esse método juntamente com a irradiação a laser, para aumentar as chances de um resultado positivo.

    Magnetoterapia

    Raramente é prescrito como o único método; também é recomendado em combinação com outros métodos. Características: indolor, o risco de efeitos colaterais é mínimo.

    Em princípio, a magnetoterapia é usada de forma muito ativa e, muitas vezes, ele se provou bem, a porcentagem de resultados positivos do tratamento usando o método de magnetoterapia é máxima.

    Massagem da próstata

    As complicações são possíveis se focos de um processo infeccioso purulento ou pedras se formarem na próstata.

    Além disso, o procedimento não é completamente indolor.

    Raramente é realizada se houver um processo inflamatório causado por uma infecção.

    Exercícios físicos

    Terapia por exercício - exercícios de fisioterapia, usados ​​para prostatite. Este método inclui vários complexos de ginástica, exercícios diários, ioga e é recomendado após muitas doenças.

    Observe que esse geralmente é um método de reabilitação, não o tratamento principal. Substituir um curso de tratamento por terapia com exercícios é arriscado.
    Você receberá uma indicação ou recomendação de uma terapia por exercício do seu médico.

    Intervenção cirúrgica

    No tratamento da inflamação da próstata é raramente usado. A cirurgia para prostatite é um tratamento sintomático que não remove a causa.

    Dependendo do grau de desenvolvimento da doença, ambas as partes da próstata e toda a glândula podem ser removidas.

    Em geral, sobre tratamento
    Como você já entende, qualquer método de tratamento deve ser combinado com os outros, levando em consideração as características individuais do corpo do paciente. Antes de tudo, é necessário fazer tratamento com medicamentos: anti-inflamatórios, antibióticos, a fim de remover a “fase aguda” do curso da doença. Além disso, exercícios de fisioterapia ou fisioterapia podem ser prescritos, como complemento ao tratamento.

    Deixe O Seu Comentário